Artist Home Page

www.zednarte.com.br

Artist Biography

Nome: zednarte

Arte: naif

Nacionalidade: Brazil

Data de Nascimento: 0000-00-00

URL: http://www.zednarte.com.br

Contacto:0055 16 3322-4827


zednarte naif Brazil

Biografia:

Edna De Araraquara 
Pintora de estilo “idiosyncraticArt” 
 
 
Biografia 
 
Edna De Araraquara nasceu em Novembro de 1955 em Araraquara, Estado de São Paulo. Tem nacionalidade portuguesa. Começou a expôr em 1977 e, desde então tem participado em inúmeras exposições colectivas e individuais em diferentes países: Brasil,Portugal,Itália,França,Canadá,Estados Unidos,Suécia,Espanha,Inglaterra,Cabo Verde e Grécia. 
 
 
1973 
Teve seu primeiro contacto com a arte de pintar ao visitar o atelier do pintor Zé Cordeiro no antigo Prédio Martinelli no centro antigo de São Paulo. A pintura encheu seus olhos e as cores tocou seu coração e, a partir daquele momento passou a interessar-se imensamente pelas artes plásticas. 
 
 
1974 
Mas a partir desta data que, em Salvador-Bahia,” Berço das Artes do Brasil” que, começa a pintar. Estuda pintura no atelier de Zé Cordeiro, agora seu marido, na rua do Genipapeiro no antigo bairro da Saúde. Seus dias são inteiramente dedicados ao desenho e o os exercícios dos pinceis, sua vida muda perante o mundo mágico dos artistas, dos poétas. A arte penetra-lhe profundamente em suas entranhas, aninha-se em sua alma, enfim é a artista que nasce. 
 
 
1976 
Muda-se para São Paulo-SP, onde na rua Sebastião Pereira, próximo ao Largo do Arouche, local de grande agitação artistica e tambem política, monta junto com Zé Cordeiro, o atelier de pinturas. Quase diáriamente recebe visitas de colegas pintores, como o pintor catalão Miguel Abelá, mentor de projectos de grandes exposições em todo o Brasil, do Movimento Arte e Pensamento Ecológico, Henry Vitor, A.Peixoto, Josinaldo,Waldomiro de Deus, Neuton Andrade, Paulo Menten, os vanguardistas Francisco Inarra, Ted Derich Ilgars, o surrealista Walter Levy entre outros, críticos de arte, poétas, jornalistas ,políticos e activistas de esquerda. 
 
 
1977 
Expõe pela primeira vez, a convite do assessor de Cultura da Prefeitura de São Bernardo do Campo,SP; João Delijacoiv Filho, para a exposição colectiva “ Mitos e Lendas do Brasil”, com artistas já muito conhecidos na época, como Waldomiro de Deus,Iwao Nakajyma, Waldemar , Zé Cordeiro e outros. Parcicipa de seu 1º salão Oficial, o III Salão de Artes Plásticas de Itú,SP. 
 
 
 
 
1978 
 
Participa de pequenas exposições em espaços alternativos em São Paulo. 
 
 
 
 
1979 
Muda-se para Santos, cidade portuária do estado de São Paulo, Edna e Zé montam atelier na praia de José Menino, no 18º andar do edifício Universo Palace. É descoberta” então pelo marchand e empresário Nilson Schiavinato, que apresenta os seus trabalhos na exposição colectiva “ Quatro Artistas “ em sua galeria, Bima Galeria de Arte, em São Paulo, a exposição faz grande sucesso, suas obras são todas adquiridas. No mesmo ano expõe no Paço Municipal de Ribeirão Pires,SP. 
 
 
1980 
Expõe colectivamente na “ Pintores da Baixada Santista”, Centro Cultural da Prefeitura Municipal do Guarujá,SP. 
 
1981 
Em São Bernardo do Campo,SP, expõe na “Colectiva de Natal”, na Pinacoteca Municipal, com o escultor Agenor,pintor Josinaldo,Moro,A.Sarro, Orlando Mattos e Zé Cordeiro. 
 
1982 
Pela 1ª vez expõe na europa,, na “Mito e Magia del Colore”, Castel dell’Ovo em Nápoli,Itália. É-lhe conferida a grande medalha de Ouro no I Salão de Artes Plásticas, Eduardo Gomes, São Paulo, organizado pela UNAP, União Nacional dos Artistas Plásticos.Participa do I Salão de Artes Plásticas da Primavera em São Paulo,SP. 
 
1983 
As exposições vão sucedendo-se, seu horizonte alarga-se, então muda-se para a cidade de Campinas,SP, uma grande cidade com mais de 3 milhões de habitantes, 3 Campus Universitários, Museus, Centro Culturais e, um dos mais famosos Salões de Artes do Brasil. Estabelece-se com atelier no Aeroporto Internacional de Viracopos, onde pinta ao vivo seus quadros e vende-os ao público. É-lhe conferido o prémio, Medalha de Bronze, pelo juri do II Salão Nacional Feminino de Artes Plásticas, São Paulo,SP. Recebe Menção Honrosa no III Salão de Artes Plásticas de Taboão da Serra,SP. 
 
 
1984 
Inaugura em Campinas junto com Zé Cordeiro a Casa de Arte Brasileira, um misto de casa, atelier, escola e galeria de arte que, através dos anos iria tornar-se num espaço ultra dinâmico, uma verdadeira casa geradora de arte. Recebe artistas de todo o Brasil, expondo seus trabalhos, com apoios da Unicamp (Universidade de Campinas) e da Prefeitura Municipal de Campinas e empresas da Região, organiza festivais de arte naif, cataloga artistas naifs de todo Brasil, num grande e completo ficheiro. Com idealismo puro de seus coordenadores, com dinamismo organiza cursos de arte com grande qualidade, pois os professores eram bons artistas como, o escultor Paulo Taddeo, na aguarela o pintor chionês Tio Tjay, na pintura e na arte do restauro nada melhor que o Dr. Galli Fiorillo, restaurador dos mais conhecidos em Itália, onde reside. Era tambem missão, a descoberta de talentos e lança-los em exposições com divulgação a nível nacional, em jornais, rádios e televisões. Alias, a Casa de Arte Brasileira, tinha apoio incondicional da média. Deste modo, a Casa de Arte Brasileira deixou verdadeira lacuna ao encerrar suas portas em 1990. 
 
 
1985 
Em São Paulo,SP expõe na Galeria Maison Des Arts. Na região da grande Campinas, participa de várias exposições em espaços alternativos como, Universidades, Centro Técnicos de Pesquisas, Leilões etc. 
 
 
1986 
Realiza afinal sua primeira exposição individual, com um grande apoio da empresa Equipesca, do saudoso Ademar Manarini, um verdadeiro mecenas da cidade de Campinas, um grande fotografo, com um gosto muito apurado, um grande conhecedor da pintura e muito amigo dos artistas, muito contribuiu para o engrandecimento das artes plásticas do Brasil. Começa a expôr no estrangeiro, seus trabalhos transpõe fronteiras, a Itália e Canadá passam a conhecer as suas paisagens bucólicas, feitas com eternecedora sensibilidade, apresenta sempre o mundo rural, como laranjais, lago de aguas plácidas, rios azulados enfim, toda sua pintura minuciosamente delineada, sua maneira feminina e “ingênua” de pintar. 
 
 
1987 
As exposições acontecem ininpterruptas, as imagens passam vertiginosamente como num écran. Então os críticos, dos mais rigorosos, tecem elogios a sua arte nascida do coração. Expõe em museus, Museu de Arte Contemporânea de Campinas, Museu do Sol, Penápolis,SP, Museu de Osasco, SP etc. Expõe tambem na Galeria de Arte Passarela,Campinas,SP. Viaja para Itália, expõe com grande sucesso em Milano no Centro Culturale Italo-Brasiliano e no Centro Culturale Polivalente de San Giuseppe Vesuviano em Nápoli. No Museu do Sol expõe juntamente com os artistas Henry Vitor e Ana Maria Dias. A convite da empresa estatal INFRAÉRO, por ter prestado serviço à cultura do país, instala a Casa de Arte Brasileira II, na Sala Vip do Aeroporto de São Paulo, o maior aeroporto da América Latina. 
 
 
 
1989  
No Rio de Janeiro expõe colectivamente na Galeria de Arte Borghese e, em São Paulo na Galeria de Arte Portal, com o lançamento do livro “ Panorâma das Artes Plasticas no Brasil” de Narciso Martins. 
 
 
1990 
Viaja para Paris a convite da Unesco a fim participar da EXPO90 na Maison da Unesco, magnifica exposição, durante um mês em contacto directo com um público selecto fez-lhe “ abrir-lhes as portas” da europa. Logo após realiza exposição à convite do Mr. Pierre Mantion no Hotel De Ville de Cerizay. Passa a residir em Paris por uns tempos, viaja a Alemanha realiza exposições relâmpago em Munchen, na fabrica Bosch e em Friedrichafen na fabrica Zeppelin, vai a Manhein conhecer a obra de Paul Klee. Finalmente em Dezembro deste ano , vem a Portugal, apenas para passar uns tempos, isso depois de breves moradas em Roma e Paris. Como em um sonho, encanta-se pelo nosso país, apaixona-se de facto pelas paisagens minhotas, em princípio, depois a alentejana. Amor à primeira vista, Portugal toca sua alma, sensibilizada, desde então, somente passa a pintar as paisagens floridas deste “ jardim à beira mar plantado”. Dá vida nova a velha paisagem, no princípio “ seus alentejos”, tinham um leve sotaque brasileiro que, veio a perder atraves destes anos todos. Conhece na ocasião, apresentada pela Adida Cultural da Embaixada do Brasil em Lisboa, Srª Ana Guasque, a Drª Maria Baroso, esposa do Presidente Drº Mario Soares, faz-lhe então doação de uns quadros para obras beneméritas, o Bazar Diplomático, que aconteceria na FIL. Desde esse momento as coisas começaram a acontecer para Edna em Portugal. Os convites chegaram para exposições em todo o país. 
 
 
1991 
Em Portugal neste ano após viajar para quase todo o país, após visitar locais preferidos, vêr terras, visitar velhas aldeias minhotas, deslumbra-se com os montes alentejanos, apreciar o nascer do sol nas searas amareladas do Alentejo, e encantar-se com a neve a cobrir a paisagem como um alvo lençol de linho, ao amanhecer lá na Quinta da Cartida de nosso amigo Dr. Paulo Abrantes, na Régua, onde o rio Douro serpenteia modorramente como uma cobra dourada, observada lá do alto, pelos socalcos cobertos pelas parreiras carregadas de uvas a desmanchar-se em mel que, transformariam-se em vintages deste verdadeiro néctar do Porto. Deslumbra-se com o ocaso no Algarve, nadar nas aguas verde-azuladas de Sesimbra, descançar nas praias de Carcavelos, sempre perfumadas pelo odôr da sardinha na brasa do Pérola nos fins de semana. Em Lisboa, lá perto da feira da ladra, na Galeria de Arte Miron, é responsável juntamente com Zé Cordeiro, pela realização da exposição colectiva de artistas portugueses e brasileiros, a “ Portugal, Brasil Arte Hoje”, 24 artistas ao todo ( sendo alguns muito conhecidos) Artur Bual, Rogério Amaral, Manuela Jardim entre outros. Organiza tambem a “ Arte Brasil 91”, em São Pedro de Moel. Vai ao Algarve participar da 1ª Port’Arte em Portimão, então dentro do recinto do evento, com Zé Cordeiro e Infante do Carmo, montam uma galeria de arte, onde junto com obras de Cargaleiro, Maluda, Rogério Amaral, Artur Bual apresenta artistas brasileiros como A.Sarro, Nerival, Dolores Branco, Norberto Stori, Cambé, Justino entre outros. Faz muitas fotos com o grande fotografo Augusto Cabrita. 
 
 
1992 
Em Gondomar, é seleccionada para o I Prémio Julio Resende. A convite da galerista Alcina Carvalho, muda-se para a cidade do Porto, onde vai exercer a gerência da galeria Caixa da Arte. Realiza muitos eventos, “ Portugal Brasil “, com pintores de ambos os países. Na Exponor realiza a exposição “ As Cores de Maio “ com artistas luso-brasileiros.Uma das mais relevantes mostras acontecida no Porto este ano, é sem dúvida “ A Arte na Quinta da Lomba “, apresentando artistas portugueses, brasileiros e franceses, com obras de grande tamanhos, nos jardins ensolarados da Quinta no Douro, grande sucesso de público, muitos jornalistas, críticos, empresários, foi de facto muito divulgada. 
 
 
1993 
Abre na cidade do Porto, sua própria galeria a Porto Galeria de Arte 245, junto com Zé Cordeiro, António Telles e Cecilia Coelho, a primeira exposição é realizada com 200 obras de 200 artistas representados no livro “ Aspectos das Artes Plásticas em Portugal “, com o respectivo lançamento do livro de Infante do Carmo. Realiza então na “245” a I FIAP, o Festival Internacional de Artes Plásticas, com a participação de artistas de vários países, com alguns tendo viajado de seus países para o Porto. Edita junto com Narciso Martins 
 
 
1994 
Em França, participa da mostra “ Peintres Du Portugal “, no Espace Culturel Sidney Bichet em Garches,. É convidada a expôr na “ Lisboa 94, Capital da Cultura “, no antigo Convento dos Cardaes. 
 
 
1995 
Em Avignon, França, junto com pintor Paulo da Silva e Monique Jullien realiza a mostra colectiva “ Lè Rève et L’Exotisme” no Coteaux d’Avignon. Faz Serigrafias para o Centro Portugues de Serigrafias em Lisboa. 
 
 
1996 
Enfim sua obra agora com forte sotaque lusitano, depois de estar presente nos espaços de arte de Portugal, de norte a sul, passa a invadir espaços de arte da europa. Em Estocolmo-Suécia, representa Portugal no 3th International Femmale Artists Art Annual, entre pintoras de 35 países, é a única a representar Portugal e, ganha o prémio de mérito com uma paisagem alentejana. Na Galeria do Casino do Estoril, recebe pelo 4º ano consecutivo, Menções Honrosas, expõe ainda com Zé Cordeiro numa “ Individual-à-Dois” , nas Galerias de Arte Phottoff de Lisboa e na Galeria de Arte Belo-Belo em Braga. A Galeria de Arte , Arte&Mar, recebe seus quadros em uma exposição individual, marcada pela intensa divulgação na imprensa nacional. Neste mesmo ano, expõe colectivamente em New York na MontSerrat Art Gallery. 
 
 
1997 
Viaja à Londres, então as coisas acontecem. O sucesso mesmo, Edna veio a conhecer em Londres, quando expôs na Thompson’s Art Gallery, pois além de vender todos os quadros ,o príncipe Ali Khan, que ainda lhe fez algumas encomendas. Viaja para o Brasil, para mais uma “ Individual-à-Dois “, com Zé Cordeiro, na belíssima Galeria de Arte Vera Ferro, em Campinas,SP. O sucesso acontece outra vez, agora com mais intensidade, o facto é bisado, todos os quadros são vendidos e, é cumprimentada pelo grande público presente, amigos vieram de toda parte. A imprensa, ( jornais e televisão), deram a maior cobertura nacional do evento. 
 
 
1998 
É seleccionada pelo Alto Comissáriado do Brasil e , pela Fundação Luso-Brasileira Para o Desenvolvimento da Lingua Portuguesa, para expôr na LISBOA EXPO 98, em Individual-à-Dois, na Galeria de Arte Pomar dos Artistas, Lisboa. Sua pintura revela uma artista de grande sensibilidade e, em seu estilo inconfundível, muito pessoal mesmo, que é de facto....” um estilo idiosincrático”, como catalogaram-na, quando esteve a expôr em Londres. Edna que sempre foi conhecida como pintora dos quadros de pequeno formato, eis que tem agora um verdadeiro desafio: pintar paineis de 1,50x2,50, para a exposição organizada por Renato Rodyner, “ Cascais Expo 98”, entre 20 artistas de Portugal, sua obra tambem está patente à beira da praia, no chamado “paredão” de Cascais. 
 
 
1999 
Expõe individualmente na Galeria de Arte Nova Imagem, no Shopping Center Colombo, Lisboa. Assina para a empresa A.O.Rodrigues, 4.000 litografias, em Lisboa. Viaja para Astúrias, junto com sua representante em Espanha e Reino Unido, Conchita Spencer, e passa a expôr colectivamente na Galeria de Arte Avilez. 
 
 
2000 
Exposição inaugural da Galeria de Arte Almatea, em Madrid, com uma Individual-á-Dois, com Zé Cordeiro. A Galeria de Arte Nova Imagem, recebe suas obras com a exposição “ Edna De Araraquara , Zé Cordeiro e Seus Amigos....... Assina Serigrafias para, o Centro Portugues de Serigrafias, Lisboa.Representa Portugal no 1st International Forum for a Culture of Peace by Mediterranean Women Creators Rhodes-Grécia. Os 25 países do Mediterrâneo com as suas artistas, escritoras e cineastas estiveram presentes no Forum. 
 

Exposições:

"Artistas da Atear em Palmela" - "ARTEXPO NY 2008" - "41º Tabor Eslovénia "
zednarte -------

Exhibit Name:

Title: ( )

Sale: ------

Price: 0------

Size: 0x0

Art:

Technique:

Comments:

individual
zednarte  
2 Pictures

Primavera
zednarte  
1 Pictures

Edna de Araraquara
zednarte  
1 Pictures

Zednarte
zednarte  
1 Pictures

 
 

Other Works

   

Other Alborques Artists